O futuro do Social Media: Territorio 2012

Good Rebels, Social Media

Esta semana, estreamos um novo escritório. a típica aposta da empresa que cresce: continuar crescendo, não continuar crescendo, crescer para que? No primeiro semestre de 2010, Territorio iniciou 17 projetos, contratou 20 pessoas e triplicou seu faturamento. Clientes como Inversis Banco, Movistar, Saxo Bank, Red.es, Mapfre, Everis, Imade, Laboratorios Boiron, o Snappybook estão nos respaldando e nos fazem acreditar em nossa oferta de serviços.

E agora qué?

Não podemos parar de perguntar qual é o nosso futuro e o futuro das iniciativas dos nossos clientes. E quando fazemos isso, realmente nos perguntamos pelo futuro do que agora denominamos febre do Social Media Marketing“. Por isso, como as reflexões não servem apenas para nós, deixaremos aqui 5 apostas (por ordem de importância) que delinearão os nossos esforços estratégicos:

Social CRM (link a 12 artigos). Tinha que chegar. Os grandes projetos e o desdobramento de recursos nos sistemas e metodologias de Customer Relationship Management não podiam continuar ficando fora do que está acontecendo lá fora. Conheça seu cliente e se relacione com ele: parece uma frase tirada da bíblia do SMM, e da bíblia do CRM. Ferramentas que integrem “legacy systems” com comunidades virtuais, Facebook Open Graph, Lithium e Salesforce, etc. Campanhas, força de vendas, atendimento ao cliente, todas as áreas são afetadas pelas mídias sociais. Está pouco definido, mas muita gente trabalhará (trabalharemos) para que fique mais claro.

Geolocalização e redes sociais em móveis. Como tudo parece indicar, o auge dos smartphones é incontrolável, e cada vez mais, as pessoas andarão pelas ruas dando mais atenção ao seu celular e não ao transito, e usando o Foursquare. Estar lá, como marca, como empresa, não deixará de consumir recursos e esforços (alguém falou de recursos?) Também estará a Tc.


Criatividade 2.0. Se destacar no meio da multidão começa a ser muito complicado. Não consiste em montar “outra fan Page, outro aplicativo do Facebook”. Consiste em incorporar novas metodologias para enfrentar uma realidade imparável: as pessoas na rua são mais criativas que os profissionais, e agora têm mais meios para expressar sua criatividade. Por isso adotemos sistemas de criação contínuos e ágeis.

Comunidades de prática. Cada vez mais as grandes organizações usarão (já estão usando) ferramentas com componentes sociais para compartilhar as melhores práticas entre equipes de trabalho dispersas geograficamente. Sucursais de banco, concessionárias, equipes de desenvolvimento, etc. Montar um blog já não basta. Em muitas ocasiões, aplicar a mesma metodologia de Community Management externo ao Community Management interno funcionará. E lá estará a Tc.

Community Management.Será normal que quase todas as empresas dediquem seus recursos à gestão de suas comunidades de marca. O training, coaching e os serviços de conteúdo nas mídias sociais estarão cada vez mais “comoditizados”, mas seguirão sendo demandados para sempre. Tc continuará oferecendo serviços, até que o preço por hora do mercado seja baixo demais.

Menú