Brasil e redes sociais: conectividade e criatividade com muito futuro

Social Media


A criatividade brasileira somada às mídias sociais já está gerando coisas maravilhosas como a campanha para uma associação brasileira contra o câncer infantil e adolescente em Twitter. Com uma ação simples e brilhante conseguiu, em apenas um dia, 24 milhões de fans para 10 crianças e um crescimento em doações de mais de 4.000% comparado ao ano anterior. Outra ação muito curiosa foi a que realizou a marca Hellmann´s, imprimindo um ticket com uma receita personalizada quando o cliente passava pela caixa do supermercado. Um novo Brasil, sem dúvida, pode surgir a partir das mídias sociais.

Exemplos como estes refletem a relação apaixonante do Brasil com a Internet e com as novas tecnologias. Brasil é um país com muitos contrastes. Onde as eleições são totalmente informatizadas e a declaração do imposto de renda é feita por Internet desde 1997. Hoje, 100% dos declarantes o fazem por via online. Essa paixão se renova com as redes sociais e, muito “doispontozeradamente”, o que vemos agora é um país ávido por crescer ainda mais online.

Um passeio pelos shoppings nos dá uma visão de como as pessoas estão integradas no mundo 2.0. Encontramos gente de todas as idades com smartphones, tablets ou notebooks. Existem dados que corroboram esta percepção (graças a Cristina Gramacho, @cgramacho, pela ajuda):

Como uma população de 190 milhões de pessoas, Brasil tem aproximadamente 80 milhões de usuários de Internet.

É o segundo país em número de usuários de Facebook, com quase 47 milhões de usuários, de acordo com Socialbakers. E isso, dado que Facebook tomou a primeira posição da Orkut, a rede social mais importante para os brasileiros até o final do ano passado (eu, por exemplo, fiz um perfil em Orkut em 2004…)

  • Brasil tiene más 200 millones de móviles en uso (más de un móvil por persona). En 2011 se vendieron 9 millones de dispositivos móviles, lo que representa un 84% más que el año anterior, mientras que la media mundial de crecimiento fue de un 64%.
  • Brasil tem mais de 200 milhões de celulares em uso (mais de um celular por pessoa). Em 2011 foram vendidos 9 milhões de dispositivos móveis, o que representa 84% mais do que o ano anterior, enquanto que a média mundial de crescimento foi de 64%.
  • Além disso, Brasil é o terceiro maior mercado quanto ao número de computadores em todo o mundo e ocupa o 9º lugar em acesso a banda larga.

Portanto, nos encontramos com uma base muito ampla para a atuação dos Social Media. Mas, com respeito a Facebook, somente 32% dos brasileiros neste rede, a acessam via smartphones.

Seguindo com este mesmo exemplo de baixa conectividade móvel, dos 10 países incluídos na pesquisa de ComScore de dezembro de 2011, o Brasil obteve a porcentagem mais baixa: só 1.3% do fluxo total do tráfico web que circula pelo país provem de dispositivos não computadorizados. Outros países como Puerto Rico (5.9%), seguido de Costa Rica (3.7%), Chile (3.1%), México (2.9%) e Colômbia (2.0%) estão na frente do Brasil. No entanto, Brasil é o sétimo país com um maior mercado em número de usuários de smartphones com 46.3 milhões de usuários e, além disso, em 2012, se prevê 73% mais de vendas de smartphones que em 2011. Neste ritmo, em 2016, Brasil chegará a ser o quarto maior mercado do mundo para smartphones.

Detrás de todos estes números, a conclusão é que o gigante sul-americano já adotou Internet como parte da sua vida cotidiana em todos os extratos sociais e dá passos a uma maior conectividade através de dispositivos móveis. Como são passos de gigante, podemos imaginar o efeito que terá quando uma quantidade ainda maior de pessoas comece a usar as redes sociais em qualquer momento e em qualquer lugar: um verdadeiro “boom” está por chegar com uma força que pode revolucionar o comportamento do consumidor e do cidadão brasileiro. Terá efeitos imprevisíveis sobre as empresas, os negócios e as instituições. A utilização de Internet será algo tão comum e transparente como o exemplo de Hellmann´s dado no início deste post, ou como este, da rede C&A que integra as informações de “curtir” de Facebook aos cabides das suas lojas.

Isso será possível em curto prazo: o desenvolvimento do Brasil só tende a aumentar com os macros eventos da Copa de 2014 e das Olimpíadas no Rio de Janeiro de 2016. O investimento necessário em infraestrutura gerará melhores condições para as telecomunicações e com uma economia em crescimento, mais usuários consumirão mais e melhor o que Internet tenha para oferecer. A tendência é que o uso das redes sociais seja cada vez maior fazendo do Brasil um mercado ideal para as empresas que queiram se integrar numa sociedade moderna e sedenta de novidades. Não é por acaso que grandes nomes da web 2.0 tenham aberto escritórios no Brasil, recentemente, como Google e LinkedIn. Além disso, Apple, através de Foxconn, fabricará seus iPads no país. Muitas fichas se movem no tabuleiro verde-amarelo.

Menú